domingo, 16 de janeiro de 2011


Amor é um Fogo que Arde sem se Ver

Amor é um fogo que arde sem se ver; 
É ferida que dói, e não se sente; 
É um contentamento descontente; 
É dor que desatina sem doer. 

É um não querer mais que bem querer; 
É um andar solitário entre a gente; 
É nunca contentar-se e contente; 
É um cuidar que ganha em se perder; 

É querer estar preso por vontade; 
É servir a quem vence, o vencedor; 
É ter com quem nos mata, lealdade. 

Mas como causar pode seu favor 
Nos corações humanos amizade, 
Se tão contrário a si é o mesmo Amor? 

Luís Vaz de Camões

4 comentários:

  1. Luis de Camões será sempre o poeta do amor, para além da pátria-Língua.
    Parabens pela escolha!
    Beijo
    Graça

    ResponderExcluir
  2. Jacque

    Sendo o Poema de Luis de Camões, muito conhecido,lê-se sempre com agrado. É assim este teu espaço de poesia.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. CAMÕES ÉGIDE É EM VIDA MINHA,MEU MESTRE ,MEU TUDO,NA ARTE DE ESCREVER E SENTIR.
    ESSA É A HORA DE NO GMAIL,AS ASAS DARMOS Á ESCRITA,JACQUE AMADA,EM CICLO ESTOU, ENTRE A CRUZ E A ESPADA,I NEED YOU,HELP!

    RICA

    BZU

    SNIF

    ResponderExcluir
  4. Sempre Belo...Sempre actual....
    Beijo

    ResponderExcluir